fbpx

OS BENEFÍCIOS DOS TRATAMENTOS ESTÉTICOS NO PÓS-PARTO

 em Uncategorized

O pós-parto ou puerpério é o período após o nascimento do bebê, onde o corpo da mulher deverá voltar ao seu estado pré-gravídico; ele é comumente dividido em pós-parto imediato (1º ao 10º dia após a parturição), pós-parto tardio (11º ao 45º dia) e pós-parto remoto (além de 45 dias).

No pós-parto imediato acontecem maiores complicações e com isso exige-se mais repouso, independente se o parto foi vaginal ou por meio de cesárea. Já no pós-parto tardio, a maioria das modificações são influenciadas pela lactação, o que já possibilita a atuação profissional na realização da drenagem linfática, auxiliando no retorno linfático que fica bastante comprometido, principalmente se o parto for cesariana, onde nessa fase o  corpo da mulher começa a voltar ao seu estado normal. O pós-parto remoto pode variar, pois em algumas mulheres o tempo de recuperação é reduzido em virtude da não amamentação.

Então, diante disso tudo, qual seria o benefício dos tratamentos estéticos?  Essa fase da vida materna pode ser a mais feliz e cheia de realizações, porém, nesse período, todas as atenções são voltadas para o recém-nascido. A mulher também passa a viver em função daquele novo ser, deixando de lado alguns cuidados básicos com a sua saúde estética, e em virtude de todas as mudanças sofridas durante a gestação, algumas alterações inestéticas podem surgir, e o tratamento, quando iniciado precocemente, mais efetivo será.

As principais alterações estéticas decorrentes do pós-parto são: as estrias, gordura localizada, flacidez muscular e de pele, hiperpigmentações e eflúvio telógeno. Algumas alterações não podem ser tratadas de imediato, tendo em vista que é necessário aguardar o período de lactação encerrar, para então poder iniciar o tratamento, isso porque alguns ativos são contraindicados, tais como: os retinóides, ácido salicílico, glicólico, mandélico, cafeína de nicotinato de metila, entre outros.

A maioria dessas afecções acometem as mulheres que tiveram um ganho excessivo de peso, que não tiveram uma alimentação balanceada e que tiveram exposição ao sol, sendo que poderiam ter sido prevenidas ou amenizadas.

A estria tem como uma de suas origens o estiramento da pele, que causa uma lesão de característica linear, atrófica e com caráter de bilateralidade; inicia-se na cor avermelhada (rubra), podendo evoluir para a cor branca a ser chamada de estria alba. No pós-parto remoto pode-se tratar essa afecção dermatológica com recursos eletroterápicos, como microgalvanopuntura, carboxiterapia e microagulhamento, associando-os aos cosméticos de tratamento para uso em cabine e domiciliar, atentando-se a lactação.

A gordura localizada é uma queixa bastante frequente, principalmente na região inferior do abdômen onde normalmente está associada com a flacidez de pele e muscular. Para esse tipo de tratamento, pode-se utilizar ultrassom, radiofrequência, eletrolipólise, eletroestimulação, ozonioterapia e cosméticos com ativos lipolíticos e firmantes.

A hiperpigmentação sempre é um desafio, mas vale lembrar que antes de qualquer tratamento é indispensável a utilização correta de um fotoprotetor, mesmo em dias nublados ou a noite. Durante a gravidez é bastante comum o aparecimento de melasma, isso porque eles são decorrentes das alterações hormonais. O melasma consiste em manchas escuras na face, e prevenir ainda é a melhor saída. Uma pele saúdavel está menos propensa a ter esse tipo de lesão, visto que o melanócito é uma célula que tem a função de proteção, e a pele estando hidratada, revitalizada e nutrida faz com que ela não precise exercer seu trabalho.

Se durante o período gestacional a mulher não cuidar bem da pele, esse melasma pode persistir, tendo que ser tratado após o período de amamentação.

Lembrando sempre da função do melanócito, agredir, provavelmente, não será a melhor conduta. Devem-se utilizar ativos despigmentantes, inibidores de melanogênese, laser e LEDs. Porém, as hiperpigmentações devem sempre ser controladas, sendo indispensável o uso do fotoprotetor e vitamica C.

Tendo em vista essas afecções mais comuns no pós-parto, e algumas condutas que podem ser utilizadas, é necessário atentar-se as contraindicações no período de lactação, realizar uma anamnese com cautela, observar a cicatrização da cesariana, verificar presença de diástase abdominal, flacidez muscular, que pode levar a um abaulamento abdominal, confundido facilmente com gordura localizada.

A estética no pós-parto não proporciona apenas a melhora da aparência, mas devolve a mulher a sua autoestima, o reconhecimento do seu corpo e a aceitação do mesmo e consequentemente o amor próprio, tornando-a uma mãe mais feliz e realizada em todos os sentidos.

 

Ítala Valéria
Fisioterapeuta

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

0
0
    0
    Seu carrinho
    Seu carrinho está vazioRetornar a loja
    Open chat